Nível de gelo no Ártico é o mais baixo em décadas

Dados recém liberados mostram que a camada de gelo no Ártico diminuiu muito nas últimas décadas, o termo usado nesse cálculo é chamado “Sea ice extent” que quer dizer “a quantidade de gelo que cobre a superfície do oceano” que nada mais que aquela parte branca sólida de gelo que sempre vemos em fotos.

Outros dados também são levados em consideração quando mais de 15% de gelo são medidos sobre a água do mar. O que acontece é que esses níveis estão caindo cada vez mais e é possível visualizar nos mapas.

Legenda do mapa: a linha laranja mostra o nível do gelo na região do Ártico entre os anos de 1979 e 2000, essa é uma média da quantidade de gelo na área. Esse mapa tem os dados do último dia 25 de agosto de 2012.

O nível de gelo no Ártico aumenta e diminui de acordo com a posição da Terra em relação ao Sol, durante milhões de anos isso ocorre, mas na nossa era moderna a queda só aumenta.

Gráfico: No gráfico vemos cálculos desde anteriores ao ano 800 e em pontos azuis os dados que foram coletados na era moderna. A queda é significativa e não se sabe ainda a que ponto pode chegar, é possível vermos no futuro um Ártico sem gelo como também é possível que isso leve milhares de anos, tudo dependerá de um conjunto enorme de fatores especialmente da emissão de gases de combustíveis fósseis.

De acordo com artigo de hoje do Skeptical Science: http://www.skepticalscience.com/why-arctic-sea-ice-shouldnt-leave-anyone-cold.html

O que torna este evento significativo, é o papel do gelo do mar Ártico que funciona como um refletor de energia solar. O gelo é branco e, portanto, reflete grande parte da luz solar de volta ao espaço. Mas onde não há gelo, a água do oceano escura absorve a maior parte da luz solar e, consequentemente, se aquece. Quanto menos gelo houver, mais a água aquece, derretendo mais gelo. Esse feedback tem todos os tipos de consequências para a região do Ártico. Desaparecimento do gelo pode ser bom para espécies como algas minúsculas que lucram com as águas mais quentes e estação de crescimento prolongado, mas sem gelo do mar poderia significar catástrofe para animais maiores que caçam ou dão à luz filhos sobre o gelo. Condições de mudança rápida também ter repercussões para as populações humanas cuja renda e cultura dependem do gelo marinho. Suas comunidades vão, literalmente, derreter e sumir pois que o gelo do mar já não age como um tampão para enfraquecer a ação das ondas. leia mais aqui no link com tradução

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *