As luzes misteriosas que o astronauta John Glenn viu no espaço

John Glenn foi o primeiro astronauta norte-americano a orbitar a Terra dentro da cápsula Friendship 7 e sua experiência ao ver luzes estranhas no espaço ficou muito conhecida no mundo todo e é usada até hoje como argumento por alguns entusiastas de OVNIs e extraterrestres.

Aconteceu que na reentrada da cápsula na atmosfera da Terra John Glenn se comunicou com a central de comando da NASA e disse estar sendo seguido por luzes em volta de toda a cápsula.

A cápsula Friendship 7 reconstituída em 3D imagem via – em tamanho maior no link

Essa é a transcrição da conversa de John Glenn dentro da Friendship 7 com o pessoal do controle da missão:

John Glenn

Aqui é Friendship 7. Vou tentar descrever como estou aqui. Estou dentro de uma grande massa de pequenas partículas, são muito brilhantes e parecem luminescentes. Nunca tinha visto algo assim. Elas contornam um pouco; vem para cima da cápsula e parecem como pequenas estrelas. Uma chuva delas passam por aqui.
00 01 15 57

John Glenn
Elas rodopiam em volta da cápsula e vão para na frente da janela e são todas bem brilhantes. Talvez estejam a 7 ou 8 pés daqui, mas posso ver outras abaixo de mim também.
00 01 16 06
CAPCOM (controle)
Entendido, Friendship 7. Você consegue ouvir algum impacto na cápsula? Over.
00 01 16 10
John Glenn
Negativo, negativo. Elas são bem lentas; elas não vão numa velocidade alta, talvez só 3 ou 4 milhas por hora. Vão na mesma velocidade que estou. Elas são só um pouco mais lentas que minha velocidade. Over.
00 01 16 33

John Glenn
Elas tem, elas tem uma trajetória diferente da minha porque rodopiando em volta da cápsula e partem na direção contrária de onde estou vendo.
00 01 16 46
John Glenn
Vocês estão recebendo? Over.

—————————————

O que afinal eram essa luzeinhas voadores, ou como ficou conhecido “fireflies”? Muito pensaram ser algo místico, talvez alienígena ou então só pura imaginação do astronauta. Já o controle da missão estava preocupado por imaginar que o escudo protetor da cápsula para a entrada na atmosfera estive quebrando.

Isso tornou-se um grande mistério até a missão Mercury em Maio de 1962 com o astronauta Scott Carpenter a bordo da Aurora 7. Carpenter também viu as mesmas luzes mas ele conseguiu identificar o que acontecia e de onde surgiam. O que acontecia era que a cápsula condensava pequenas partículas de gelo quando estava na parte escura da órbita, sem a luz do Sol e quando passava por essa parte escura e entrava na área iluminada as partículas derretiam e ao entrar novamente na parte escura congelavam novamente criando pequenos pedaços de gelo que acompanhavam a cápsula quase na mesma velocidade.

O que causava a “luz própria” aparente nas partículas era a luz solar e para testar sua teoria o astronauta batia nas laterias na cápsula e via as luzes surgindo. Estava resolvido o mistério 🙂

 

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *